domingo, 12 de setembro de 2010



A VISITANTE
... acorda com a campainha. Levanta com dificuldade e atravessa o pequeno apartamento como se estivesse numa reta sem fim. Pergunta quem é; alguém responde que é a glorinhavip. Não entende, mas abre a porta. Ela entra na sala, diz que adora seu vlog e que se identifica muito com suas ideias. Pede autógrafo com mãos trêmulas. Ele pensa que está num sonho e acha a moça gostosa, apesar de aparentar uma suicida em potencial. Oferece um café e chupa uma bala para ficar com bom hálito. Ela não para de falar, emenda um assunto no outro. Ele não presta atenção, olha seus seios e pernas. De repente, ela pede um pedaço de suas fezes, para guardar num relicário que herdara da bisavó. Tenta desconversar, ela começa a chorar dizendo que o pai abandonou a mãe para ficar com a samambaia e, por isso, odeia samambaias. Olha em direção à planta na sala, pega uma faca e avança. Ele a segura, a samambaia foi presente de sua mãe. Ela aos berros revela que ele parece com o pai e que está traindo-a com a samambaia também. Ele diz que não é pansexual. Segundos se passam, começam a foder vertiginosamente... Abre os olhos e ela não está mais no apartamento. Corre para ver a samambaia, está intacta. Pergunta-se onde está aquela louca varrida. Vê um bilhete na mesa da sala:
“ Se gostou de mim, viste o meu vlog.”
Postar um comentário