domingo, 26 de fevereiro de 2017

Subestimar é perigoso...




Desconfiava dos sedutores e belos, tinha medo de ser manipulado pela lábia deles. Só se envolvia com os feios e os pobres coitados. 
Achava que assim, estaria por cima e nunca seria enganado. 


Entretanto, teve uma surpresa. A esposa desprovida de beleza roubou todo seu dinheiro, com ajuda de seu melhor amigo, que antes era seu capacho.


Concluiu que não são só os indivíduos sedutores e lindos que precisava ter cuidado, mas, inclusive, do perigo de subestimar o outro, mesmo que seja aparentemente inferior ou sem atrativos.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

" Viu papai, mamãe sempre esteve aqui."

Cena do filme a árvore da vida


Papai me dizia que mamãe tinha ido embora. Mas, eu sentia sua presença e seus carinhos. Um dia, encontraram os ossos de mamãe enterrados no quintal.

Até hoje, procuram pelo papai.


Enquanto isso, eu e o espírito de mamãe ficamos assistindo a tevê, esperando papai voltar para ficarmos juntinhos novamente.

Tia Cassandra






Espera ansiosamente o carnaval. 
É a época que pode tirar a máscara e ser ela mesma.


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Caminhante





Olhou para poça e viu a lua refletida. Lembrou-se de um haicai :“na poça da rua o vira-lata lambe a lua”* .

Quis beijá-la, mas veio a repulsa.

Pisou na poça desfazendo a imagem da lua. Não queria aceitar, mas mesmo sentindo nojo, invejava o vira-lata.


*Millôr Fernandes

Reverso


Madrugada de segunda chegando...

 

video


Finalzinho de domingo se esvaindo. O tempo é foda, sempre mostra que o mundo gira. O sono tenta se manifestar, mas, a luz do celular o inibiu. Outro dia, ouvi uma médica dizer que para estimular o hormônio do sono a melatonina é necessária ter o quarto bem escuro. Ai, que mora o problema, tantas informações e estímulos que se deseja ficar conectado vinte quatro horas. Como as pessoas de antigamente conseguiam viver sem Internet? Como eu suportava há vinte anos! Chega! Preciso dormir! Amanhã é dia de labuta. Desconectando a força! Que Morfeus me ajude a dormir e a ter sonhos bem agradáveis.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Loucos?!


  
Desde que me entendo por gente, quando a noite chegava e o sono vinha, ninguém dormia. Todos ficavam vagando por aí como zumbis e à espreita de quem está acordado, para mordê-lo e o transformar como igual. Ao amanhece, todos voltavam ao normal e agiam como se nada tivesse acontecido.

 No início, tinha medo, mas, me acostumei com os sons que minha família emitia. Comecei a dormir tranquilamente, enquanto os outros acossavam. Sempre escutei gritos na alta madrugada, era um "acordado" que foi descoberto. Ao crescer, curti minha infância e juventude sem muito drama. A única coisa que me incomodava era os gritos ou quando alguém ficava a me observar para ser se dormiam realmente.

O tempo passou, tive mulher e filhos. Eram zumbis, também. Como estava habituado, nem me importei. Até quis, ser mordido por eles para não ser mais diferente. 

Quando surgiram as redes sociais, descobri o "grupo dos acordados". Entrei em contato e conversei bastante com os integrantes. A que dialogava mais comigo era Ana e nos conhecemos no mundo real. Era casada também e sofria de ver os seus na madrugada, caçando os acordados.

Nós nos apaixonamos, porém, não podíamos abandonar nossas famílias. Encontrávamos um jeito para passar a noite se amando trancados num quarto de motel, enquanto os zumbis noturnos perambulavam pela madrugada.

Será que somos os loucos?! Ou pertencemos aos poucos sãos que ainda existem no mundo? 



domingo, 29 de janeiro de 2017

REFLEXO

New York Movie- Edward Hopper


O filme contava sua história. Perplexa, ausentou-se da sala de projeção. Uma lembrança surgiu de uma região nebulosa da memória. Há alguns anos, sonhara que estava com um jovem roteirista de cinema e que lhe revelara tudo sobre sua vida. 

sábado, 21 de janeiro de 2017

OBSERVO A VIZINHA DE BINÓCULO

Night Windows (1928) de Edward Hopper




 Ela tropeça e torce o pé! E agora? Como vou ajudá-la sem ser descoberto? Pensa Pensa Pensa...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

EXAUSTA( conto antigo)


Imagem encontrada no google

gritos das crianças, dor de cabeça, marido na guerra; mãe doente entrevada na cama, meus olhos não conseguem ficar abertos, o bebê chorou o dia inteiro; não tem quase nada na dispensa, as crianças reclamam, dou um safanão nelas; deixo-as de castigo. O fogo me esquenta, ao mesmo tempo, parece que me convida para dançar; de repente as sombras dos moveis e dos talheres se estendem por toda casa. “MAMÃE”, retorno à consciência, “ Vovó morreu!”; coloco o pequenino no berço, vou ver minha mãe. As crianças reclamam do frio, almejam colocar mais lenha para alimentar a lareira. Digo que atravessamos tempos de crise, precisamos poupar e parar de frescura. Olho novamente para o fogo, como queria ter aceitado o convite o convite do forasteiro...


Também, publicado em http://tudocultural.blogspot.com.br/




terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Consciência




video


Sabia que era bonito e perfumado, mas, sentia um odor forte que não conseguia se livrar. Ficava horas no chuveiro e ainda o cheiro persistia. Refugiava-se na admiração dos outros, só que durava pouco tempo. A solidão vinha e o odor tornava-se mais presente. 
Ele sabia que algo estava errado, porém, ficava na superfície da racionalidade, uma vez que não queria ser tachado de louco.

Quando dormia, devorava todos os calmantes que encontrava. Refugiava-se na não consciência.

Um dia, percebeu-se no abismo e, pela primeira vez, não sentiu o cheiro peculiar. Deu um salto no escuro, feliz.

Estava livre!

Quando vejo um papel higiênico esvoaçante...

video


 Lembro-me de prima Laura vestida de noiva. A pobrezinha fez o próprio vestido e amava o noivo.

Mas, ele fugiu para não se casar. Conheceu uma palhaça e descobriu que queria ser um palhaço, também. Os amantes saíram por aí sendo o casal mais engraçado de todos os tempos. 


Prima Laura ficou louca com a notícia. Rasgou o enxoval e se jogou da janela, completamente nua. No lugar, onde caiu, surgiu do nada um belo jardim admirado por todos.



quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

INFORMANTE



Todos se perguntavam como o jornalista-fofoqueiro conseguia informações quentíssimas das celebridades. Sempre publicava notas exclusivas. 
Sua fonte principal era a lua que espiava por milênios o cotidiano dos famosos. 
Depois, contava-lhe tudo.


Indiferença( conto antigo e revisado, pelo menos por enquanto)

“Odeio os indiferentes. Acredito que viver significa tomar partido. Indiferença é apatia, parasitismo, covardia. Não é vida. Por isso, abomino os indiferentes. Desprezo os indiferentes, também, porque me provocam tédio as suas lamúrias de eternos inocentes. Vivo, sou militante. Por isso, detesto quem não toma partido. Odeio os indiferentes.” Fonte: Quinzena, nº 236. São Paulo, CPV, 31.08.96, p.32. Antonio Gramsci 

 Vi um assassinato, merda! Não posso me preocupar com isso. Tenho prova amanhã cedo na faculdade, preciso arranjar emprego; levar o cachorro ao veterinário, comprar as coisas para o churrasco do final de semana. Nem conheço o cara que foi morto. Tenho muitos problemas para resolver. Bem, estava equivocado... 

Meses depois, fiquei perplexo com o sumiço de minha noiva e com um bilhete curto: " estou indo embora, não te amo mais" , pedi à sua mãe que me deixasse ir ao quarto da filha. Ao vasculhar todo o lugar, descobri o diário dela: "...estou apaixonada por ele e esta paixão me deixa louca. Ele me revelou sua profissão, tive medo e ao mesmo tempo excitação. O meu namorado é indiferente, já o outro é quente e atencioso. Um dia, comentou que me viu saindo com Jorginho e que eu parecia estar. Falou que o reconheceu, quando assassinou seu desafeto... Quis matá-lo, também, mas, o meu namorado não fez nada como sempre (vivi só para si!!!). Então, Márcio decidiu deixar pra lá e poupar a vida Jorginho . Disse que vai fazer o último serviço, que custará uma boa grana. Depois, a gente vai fugir para um lugar tranquilo. Não vamos passar a perto."

 Pois é, deveria ter denunciado aquele cara. Agora, serei alvo de fofoca de toda a vizinhança. Mas o tempo passa. Esse caso que aconteceu comigo se tornará indiferente para mim e aos outros. Cairá no esquecimento.


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Famoso, quem?


Oi, sou eu. Não se lembra de mim? Participei de um famoso programa de televisão... Ainda não sabe quem sou? Além do programa, dei tantas entrevistas. Namorei até atrizes e modelos famosas da época... Também, não as conhece, que isso?! Depois, não me venha falar que "sou o famoso, quem?". Vai procurar no Google, com certeza encontrará um material vasto sobre mim e minha carreira... Participei de um programa muito famoso( como já mencionei antes) e frequentei lugares badalados em que só os ricos e famosos transitam. Fui até para um castelo famoso... Caralho, meu filho, ainda não sabe quem sou? Desculpa, mas, é um jornalista de bosta! Não tem internet em casa pra fazer uma pesquisa antes? Pois é, hoje em dia, não precisa mais fazer Comunicação Social para ser jornalista, não é mesmo?Ahn? Você é formado? Pode até ser, porém, formou-se numa faculdade de merda, né? Também, para fazer fofoca e intrigas, não precisa de diploma... Calma, não fica nervosinho, é que sei muito bem sobre isto, já que quando estava no auge da minha fama, inventaram tanta coisa ao meu respeito... O quê, já acabou a entrevista, jura que não quer me perguntar mais nada? Poxa vida, tem certeza? Olha, hoje, minha agenda está disponível... Está certo, então. Agora, não vai distorcer o que falei! Vou processar até uma vírgula fora do lugar.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

VÍNVULO






Era uma vez...
 Duas princesas à espera de seus príncipes. Ficaram um longo tempo juntas e começaram a ter um vínculo forte.
Quando os príncipes as salvaram e as levaram para seus respectivos reinos, elas se lembravam de quando estavam presas na masmorra e sentiam saudade dos momentos compartilhados.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Casa de boneca



Tinha uma vida perfeita. O marido era belo, rico e os filhos saudáveis. As únicas coisas que a incomodavam, era a enfermeira que vinha lhe dar remédio e coloca-la para dormir.
Afastava-a de seu lar ao lado da cama.

domingo, 11 de dezembro de 2016

REPETITIVAMENTE

video


Sempre se sentiu num filme, mas, ninguém acreditava nele. Quando morreu e a escuridão surgiu com os créditos rolando, os outros ficaram perplexos de ele ter sempre falado a verdade. Entretanto, tinham a esperançar de que se esqueceriam desta verdade e retomariam suas vidas quando alguém assistisse ao filme. 

Já o protagonista, estava casado de viver repetitivamente a mesma história. 

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Herdeira



Nunca conheceu os pais e vivia sozinha num apartamento. Sentia-se uma folha ao vento. Mas, um dia ao preparar o chá, começou a pensar que praticava um ritual ancestral e que vários indivíduos fizeram a mesma coisa. Percebeu-se que carregava dentro dela milhares de anos de humanidade e a cada atitude cotidiana, esta herança se manifestava.
Percebeu-se não mais solitária.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Olhos devoradores


Não sei o motivo, mas, meus olhos tornam-se bocas famintas e devoram tudo que encontram. 

Quando voltam ao normal, só vejo ruínas. Além, de sentir um vazio terrível. É estranho, já que, ao mesmo tempo, sinto-me empanzinado. 

Resolvi me refugiar para um lugar bem distante da civilização.

Na imensidão das dunas e do mar, meus olhos devoradores tornam-se insignificantes. 

Na solidão, encontrei a paz e o vazio-abismo adormeceu dentro de mim.

Bem, pelo menos, por enquanto...


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Inesperadamente...


 


Ficou preso na selfie que acabara de tirar. 

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Ex-surfista




Quando via uma onda em qualquer lugar, ficava encharcado. Todos se assustavam ao vê-lo molhado e ofegante de repente.




domingo, 20 de novembro de 2016

Vomitando arco-íris


Um dia aconteceu, assustando a mim e a todos. Fui a vários especialistas e ninguém entendia os motivos de eu vomitar arco-íris.
Sempre fui um homem sério e nunca fiz nada de errado. Não merecia passar por esta experiência tão insólita. E o pior era ouvir explicações psicológicas. Não, não me escondia em nenhum armário e nem era reprimido. Por que as pessoas sempre querem interpretar tudo que acontece? Por que não se ater ao fato de que inexplicavelmente eu vomitava arco-íris?
Fui perseguido e caçado por todos os cantos. Intitulavam-me O HOMEM QUE VOMITAVA ARCO-ÍRIS. Nunca entendi tanto ódio gratuito e tanta curiosidade mórbida.
Ainda bem que um tio me emprestou um chalé afastado da cidade e pude descansar.
Um dia, fui procurar o significado do arco-íris na internet e encontrei a interpretação bíblica, Gênesis 9:8-15:
"E Deus falou para Noé e seus filhos com ele, dizendo: "...Este será o sinal da aliança que estou fazendo entre mim e vós e todo ser vivente que está convosco, por todas as gerações."Meu arco-íris pus na nuvem ... Quando o arco-íris puder ser visto nas nuvens, vou lembrar de minha aliança ... Nunca mais as águas se tornarão em dilúvio para destruir toda carne. ""
Então, percebi como estava voltado só em mim. Comecei observar ao redor e me conectei novamente com Deus. Não precisava seguir ninguém ou uma religião. Agradeci por ter me dado a vida e de estar em contato com a natureza.
Parei de vomitar arco-íris de repente e, agora, sigo minha vida simplesmente e não julgo mais ninguém. Antigamente, adorava ser o dono da razão.
Não sou mais assim, pois descobri que toda forma de amor é melhor ao ódio dos ignorantes e dos mal resolvidos.





domingo, 13 de novembro de 2016

ARREBATADOR




Gostava de ser feio, pois como nada vinha de graça, teve que usar a imaginação e a inteligência para conquistar os obstáculos. A natureza não deu a beleza, entretanto ele com sua conversa agradável e perspicácia seduzia a todos, principalmente, o público feminino. As diferentes mulheres eram desde patricinhas a intelectuais. Um dia, quando morreu repentinamente, amigos e suas ex-namoradas foram ao seu velório e observaram pasmados o corpo franzino e orelhudo. Mas, a imagem que construiu ao longo dos anos viverá na memória das amantes e amigos.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

“Pare de palhaçada”




Quadro de A morte de Werther, por Baude

Os pais batalharam muito na vida para conseguirem construir um lar confortável aos filhos. Acreditavam que eles nunca passariam o que experimentaram. Teriam todas as oportunidades para conseguirem bons empregos e uma situação financeira confortável. Teriam a vida desejada por eles.   

Um dia, um de seus filhos se entristeceu por causa de um termino de namoro.  No início, acharam bobagem, já sobreviveram por coisas piores e lhe diziam: “Pare de palhaçada.”. Mas, em certa manhã, o rapaz foi encontrado inerte no banheiro.

Anos depois, nunca entenderam o suicídio do filho. Sempre diziam que foi uma bobagem de menino mimado e começavam a contar sobre suas histórias de pobreza, violência doméstica e de como conseguiram vencer na vida.


***
Recordo que já tive esta ideia anos atrás, mas eu a perdi. Então, escrevo-a novamente, tornando-se outro conto.


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

DEPRESSÃO


´
Desde menino, diziam-lhe para sempre ser simpático e feliz. Satisfazia as expectativas dos outros com a intenção de conseguir benefícios. 

Fez uma máscara sorridente que ocultava suas fases tristes e de angústia.  Um dia, desapareceu. 

A única coisa que encontraram foi a máscara sorridente sobre a cama e uma cratera enorme no quintal de sua casa.

 

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Mesmo sonho...



Está entre Romeu e Julieta, mas, não é um empecilho.
Pelo contrário, o casal o beija e os três se tornam um só.
Quando amanhece, percebe que o celular está em cima do travesseiro.

Na tela, estão os dois juntinhos, porém, incompletos, já que ele não está na foto.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

INTIMIDADE


Crédito da quadro, José Ferraz Almeida Jr. - Moça com livro




Durante muitos anos ele trabalhava numa biblioteca e tinha uma formalidade com o manejo dos livros. Observava a nova moradora da pensão que sempre esquecia a porta entreaberta. Ela lia diferentes livros na cama a cada dia e, muitas vezes, adormecia com algum entre os braços. O bibliotecário entrava com passos de anjo e, com muita delicadeza, retirava o livro dos braços dela.

domingo, 30 de outubro de 2016

CAÇADOR( conto de 2009)










Era o melhor da região. Uma vez, o desafiaram a caçar o alvo mais difícil de todos, o que está dentro do seu interior. No primeiro momento, ficou enfadado com a perseguição. Entretanto, com o decorrer do tempo, começou a gostar da busca. Quando estava preste a sobrepujar a presa, deixava-a fugir, para retornar à perseguição.


quarta-feira, 26 de outubro de 2016

TÓXICOS


... Fiquei muito contente ao me mudar para um condomínio meio campestre.  As casas não eram muito coladas e havia um bosque muito bonito.

 

Depois, de me instalar, comecei a caminhar. Na rua, não havia ninguém e como era agradável andar sozinho.  Um dia, prestei a atenção em uma casa ao lado da minha. Ela parecia ser de boneca e não tinha nada fora do lugar. Um casal de idosos ficava na varanda e me cumprimentavam. Pareciam viver muito bem.

 

Sempre que caminhava, eles riam para mim e puxavam papo. Até que me convidaram para jantar e fiquei agradecido.

 

O jantar estava maravilhoso e conversamos sobre tudo. Porém, quando um se ausentava por algum motivo, o outro falava mal do que havia saído. " Ele já me traiu várias vezes.", " Ela é fria e foi péssima mãe. Meu filho mais velho se matou por causa dela...". Fiquei constrangido. A comida começou a revirar o estômago, senti-me intoxicado. Arrumei uma desculpa que precisava acordar cedo e fugi dali. Resolvi mudar o trajeto das minhas caminhadas e nunca mais passar por ali.

 

Meses se passaram e soube da notícia que foram encontrados mortos em casa. Foram envenenados por uma substância desconhecida. Será que um envenenou o outro ou foram se intoxicando durante anos até o momento fatal? Na reportagem da tevê, uma filha do casal comentou que todos da família já sabiam que era " uma tragédia anunciada".

 

De vez em quando, passo pela "casa de boneca" do casal de idosos e me pergunto por qual motivo as pessoas complicam tanto a vida e preferem viver relações tão tóxicas.

 

 

 

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Onisciente

 




Eu sei quem vocês são 
Eu sei o que fazem
Vejo tudo
Não tem como fugirem de mim
Eu sou o autor
E vocês são meus
PERSONAGENS

domingo, 23 de outubro de 2016

ASPIRANTES A FAMOSOS E DESCONHECIDOS NEWS


 

Aspirante a escritor desconhecido flagra a namorada, aspirante à modelo desconhecida, com o amante aspirante a jogador de futebol desconhecido.

Suicidou-se e uma aspirante editora desconhecida publicará seus livros desconhecidos.



quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Distraído...



Em seus devaneios sente alguém o beijar no canto da boca. Olha a janela e encontra a lua.


Sorri ao pensar que a vida pode ser mágica, também!

domingo, 16 de outubro de 2016

" VOCÊS ADULTOS COMPLICAM MUITO"



Um homem se senta num banco da praça. Está cansado por caminhar a tanto tempo. Um garoto aparece e senta ao seu lado.
- Oi, está por aqui há muito tempo?
- Cheguei agora, mas, seus pais não o ensinaram que não se pode falar com estranhos?
- Disseram, mas, agora, não existe mais perigo.
- Você que pensa, menino... Curioso, faz anos que ninguém conversa comigo, sinto-me invisível.
- Está morto ou vivo?
- Pergunta estranha, menino. Mas, já me fiz esta pergunta várias vezes.
- Vocês adultos complicam demais... Você faz xixi e cocô?
- Me deixa pensar,  já que me perguntou... Não faço as necessidades fisiológicas há bastante tempo.
-Estão, está morto e anda por aí sem rumo, né?
-  Eu refletindo sobre os mistérios da vida, qual era minha situação no mundo e você já matou a charada. Se não faço cocô 
e nem xixi é porque não me alimento mais. Logo, estou morto.
- Pois é, precisamos ir.
- Ir  aonde? Você precisa  voltar para seus pais.
- O pessoal lá de casa ficará bem, meu lugar é outro. Vem comigo ou prefere ficar perdido? Dê-me a mão.





sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Apesar do labirinto de turbilhão de estímulos e informações...



Escreve algumas anotações para tese de mestrado, paga as contas, envia uma mensagem parabenizando uma amiga, pesquisa sobre os lançamentos de filmes e peças que deseja assistir, vai flanando pelos sites de seus assuntos de interesse. Mas, apesar do labirinto de turbilhão de estímulos e informações, ela continua ansiosa para que o grande amor do passado a aceitasse como amiga na rede social. Não conseguia entender como aquela menina romântica persistia a viver dentro dela e a sonhar pelo amante de séculos atrás.


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

DESCULPA INCOMODAR SEU SONO...




Magritte " la magia nera"




- Oi!

- Oi! Quem é você?

- Não me reconhece? Sou eu, a gente conversa constantemente na madrugada adentro em nossos sonhos.

- Como? Está equivocado, senhor.

- Poxa, no sonho é mais simpática. Não acredito que não se recorde de nossos papos sobre livros, viagens e filmes...

- Senhor, se não parar de me importunar, chamarei a polícia!

O homem a pegou pelo braço e a mulher gritou por socorro. A polícia veio e ela deu queixa na delegacia.

 Quando foi dormir, sonhou com uma mulher igual a ela:

“ Desculpa incomodar seu sono, mas o rapaz que a abordou é um cara legal. Quando ele a viu, pela primeira vez, criou-me.  Mas, sou um ser com pensamentos próprios, não uma marionete. Gosto dele por livre espontânea vontade. Por favor, retire a queixa! Juro que conversarei  com ele e não vai mais incomodá-la!”.

A outra retirou a queixa, mas, não gostou de ter uma versão igual na cabeça de um estranho. Queria ser a única e ficou tão agitada que não conseguia mais dormir. Resolveu ligar para o homem que a incomodou em busca respostas. No início, ele ficou com medo, mas, decidiu encontra-la.

O homem lhe revelou o que dialogavam e ela se interessou pela sua réplica que vivia na mente dele. Começou a assimilar as características da outra e a media que fazia isso, essa desaparecia da cabeça do indivíduo que assustou no primeiro momento.

Com o passar do tempo, tornaram-se amantes e a outra se acoplou nela, desaparecendo na cabeça dele.

A outra não lutou por sua existência autônoma, chorou silenciosamente.


O GAROTO E EU




O garoto corre pela casa, lutando com inimigos imaginados.
Eu luto com inimigos reais.
Os inimigos do menino são gigantes poderosos que quando destruídos se desfazem em pó encantado.
Os meus são homens como eu, mulheres, crianças idosos e doentes. Não viram pó mágico, seus corpos se amontoam nos destroços.
O garoto luta mano a mano com uma espada de plástico.
Eu estou a quilômetros de distância do campo de batalha. Só aperto o botão para acionar o bombardeio.
O garoto cresce e vai para guerra defender sua pátria. Sente-se vencedor.
Eu retorno derrotado e a culpa me consome.
O garoto e eu somos um só universo, juntos e misturados. Vencedor e perdedor, mocinho e vilão.