sábado, 25 de fevereiro de 2012

Ideia antiga


"Para tornar a realidade suportável, todos temos de cultivar em nós certas pequenas loucuras."


Fonte - À Procura do Tempo Perdido   Autor - Proust , Marcel


PARA SEMPRE AMIGOS

Na janela ampla da sala de aula via uma árvore seca. Dançava e me convidava. Não podia, tinha uma aula importante, mas continuava a observá-la.

Às vezes, a voz do professor estava longe e precisava enfiar a ponta do lápis na palma da mão, para retornar à aula. O campus era perto da Baía, se fosse limpa mergulharia nas suas águas negras junto com a árvore-seca-dançarina. Comentei com uma colega, que se afastou de mim, disse a todos que sou “ despirocado das ideias”. Meus pais me forçaram a ir ao psicólogo. Fui, seu nome era Pâmela Quemily, dizia que viu vários gnomos e até fez piquenique com eles. Combinamos lanchar todos juntos no campus: Eu, a árvore-seca-dançarina, Pâmela Quemily e os gnomos.

Conversamos sobre tudo, apesar da timidez da minha amiga. Pâmela Quemily levantou a blusa e revelou que desejava colocar silicone. Todos nós concordamos que não precisavam, seus seios eram lindos. Mas, ela estava decidida. A árvore-seca-dançarina confessou que desejava seios enormes, a psicóloga e os gnomos disseram que ficaria linda. Concordei meio em duvidoso, uma árvore de seios ficaria estranho...

Um dia, Pâmela Quemily desapareceu. O maldito pai psiquiatra a internou. Ligou para meus pais para fazer o mesmo comigo. Fugi com a árvore-seca-dançarina e os gnomos.

Viramos mambembes e desbravaremos todos os recantos da América Latina.

Postar um comentário