segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

ESBOÇO DE ROTEIRO REPROVADO


Imagem encontrada no google


PREFÁCIO

Às vezes( Mentira, em diversas ocasiões) acho-me muito criativo e que se eu divulgar meus contos e textos, todos me chamarão de escritor brilhante. Viajo na maionese legal. Enfim, mais um esboço recusado e o republicarei pela milésima vez no meu espaço virtual, onde sou o editor supremo.




A REVELAÇÃO DE TABATA CRISTINA


– Filho...preciso lhe revelar uma coisa. Não sou sua mãe.

– Você não é minha mãe, então quem é minha mãe verdadeira?

– Querido... sou seu pai!

– Como?

–Fiz operação pra trocar de sexo, quando você era bebê.

–Então, vivi todos esses anos numa mentira?!

– Por favor... me deixa explicar... Eu era um rapaz muito violento. Um dia, encontrei sua mãe, uma moça do campo, que amava correr pelas colinas verdejantes. Como estava sofrendo um conflito psicológico terrível, eu a violentei perto do rio. Sua mãe se chamava simplesmente Jamilly Gertrudes. Era muito bondosa e me perdoou. Ficamos amigas e, meses depois, me disse que estava grávida e que eu era o pai.

– Mas, eu tinha uma ligeira desconfiança de que você era lésbica. E sua amiga Martão?
– O Martão vai fazer operação para colocar prótese. Só falta isso para ele ser um homem completo. É o amor da minha vida.

– Preciso assimilar o que acabou de me revelar. Desejo saber onde minha outra mãe está enterrada, quero visitá-la e organizar um sarau de leitura gótica no seu túmulo.

– Meu bem, você teve duas mães que te amaram muito. E tem Martão, adoram sair juntos e olhar as gatinhas que eu sei. A sua mãe adoraria ler os seus escritos sombrios e aterrorizantes. Desculpa, eu não gosto muito deles porque tenho pesadelos, depois. Ainda bem que Martão tem braços fortes para me proteger.

– Mesmo que tudo que acreditei tenha sido mentira, eu te amo mamãe e te perdoo por ter me escondido a verdade por vários anos.

– Garoto lindo, é parecido com sua mãe.

Abraçaram-se. Uma luz surgiu pela janela e Jamilly Gertrudes apareceu com um longo vestido branco. Emocionou-se com a cena, depois, dissipou-se com o vento balançando as cortinas.


Postar um comentário