terça-feira, 4 de agosto de 2009

Imagem encontrada no google


O CONSERVADOR

Ia todos os domingos à igreja. Só vivia para a esposa e os filhos. Na repartição quando pintava uma propina, não perdia tempo. Pertencia a um esquema que desviou verbas da administração pública há anos. Quando foi descoberto e um manifestante chamou sua esposa de puta, deu-lhe vários socos: “ Ninguém mexe com a minha esposa.”.

Postar um comentário