domingo, 19 de junho de 2016

RECORDAÇÕS ALHEIAS



Todo final de ano escolar, alguém colocava a camisa surrada do uniforme na estátua. Era tradição, mesmo que a fonte em que ficava a estátua tivesse secado. Mas, ninguém sabia que quando a vestiam, ela absorvia as recordações alheias das camisas velhas e que lhe faziam companhia.
Postar um comentário