segunda-feira, 6 de junho de 2016

O LOBO E O CORDEIRO, O CORDEIRO E O LOBO

Quadro de Edward Hopper



Quando viu uma jovem solitária num bar, deduziu que seria presa perfeita. Foi se aproximando e começou a conversar com ela, que, pelo sotaque era do interior reafirmando ainda mais sua ideia de que seria mole seduzi-la.


A jovem se entregou em pouco tempo, mostrando seus poemas guardados no celular. Ele lhe disse que escrevia muito bem( lembrou-se de uma professora do primeiro grau que era fã de Clarice Lispector) e a comparou com a autora famosa. Ela sorriu agradecida. Ainda, inventou que trabalhava numa pequena editora e poderia ajuda-la a publicar seus escritos. 

Convidou-a para conhecer "seu apartamento". A moça solitária aceitou o convite. Fechou os olhos e se jogou no mistério. O homem estranhou, o corpo dela tremia de desejo. Chegava a gritar e ele como um amante eficiente a satisfazia com desenvoltura. Ao amanhecer, despediram-se e trocaram contatos. 

Ele chegou procurara-la, mas, a jovem do interior desapareceu. Um dia, enviou-lhe uma mensagem pelo celular, revelando que sabia que era cafajeste e que na verdade só desejava usá-la e roubá-la. Não se enganava porque reconheceu no olhar dele o olhar do amante de sua mãe.

Relatou que sua mãe foi à ruína quando encontrou aquele homem. Ela sempre a julgou, mas quando viu um homem semelhante quis entender o que se passou com sua mãe. Entregou-se como se fosse ela e pôde experimentar as sensações de sua mãe, que sempre vivera na superfície da personagem de boa filha, esposa e mãe.  Nunca entrou em contato com seu eu profundo e quando transou com o amante, sentiu-se livre pela primeira vez. O gozo a fez se perceber mulher. Então, caçou essa sensação até enlouquecer. Na realidade, o amante não foi o causador da confusão de sua mãe, ele o despertou.  Fez às pazes com ela, pois tinha o mesmo caos.  

Agradeceu ao sedutor a noite tórrida de desejo e de tê-la comparado com Clarice Lispector, mesmo que seja uma mentira deslavada, já que aqueles poemas eram de sua sobrinha de dez anos.  Ainda, questionou se ele era somente um cafajeste ou um psicopata que sugaria sua vida à última gota se permitisse. Não desejava saber, bastava-lhe transformá-lo num amante quimérico para saciar seu caos através dos sonhos. 

Depois de ler a mensagem, sorriu. Na verdade, ele que foi usado. Se soubesse por onde andaria a jovem, iria assombrá-la até tomar tudo dela.





Postar um comentário