segunda-feira, 27 de junho de 2016

INVISÍVEL

Imagem  encontrada no  google


“ Na verdade, nunca contei a ninguém sobre isso, porque fiquei com medo de me acharem maluco. Desde menino, eu sentia cutucões e alguém me empurrar, mas, como não via ninguém, achava que era perseguido por um fantasma. À medida que crescia, a presença ficava mais forte e agressiva. Ficava todo machucado e meus pais me perguntavam quem me batia e não dizia por medo deles me considerarem doido. Um dia, só ouvi alguém gritar para mim para fugir e fiquei sem entender. Ouvi sirene da polícia, um cara apareceu do nada com uma faca apontando para mim  e me levaram à delegacia para depois, seu delegado. Estou sendo sincero, não sei o que aconteceu. Só não quero ser internado em um hospício. ”

“ Confesso, quis matar este cara metido a besta! No início, quando menino queria brincar com ele, porém, nem ligava para mim e ia embora com aquele olhar distante. Fiquei com raiva e comecei a bater nele e continuava a não me enxergar. Meu ódio cresceu ao longo dos anos. Então, já que não nunca me viria, peguei uma faca e corri a sua direção.”



Postar um comentário