sexta-feira, 25 de maio de 2012

Crédito da imagem: http://www.maryjaneansell.co.uk/portfolio.php?portfolio_page=7


Minha querida desconhecida...

Não me leve a mal, mas leia nua esta carta para sentir melhor minhas palavras. Elas não vêm do pensamento e sim através da minha alma.

Vejo-a por ai e a sigo por todos os cantos, desejando me revelar a você. Sempre tive breves obsessões, mas você está permanecendo. 

Tenho a impressão que já a conheço há muitos anos e, às vezes, vejo-a refletida no espelho. 

Resolvi escrever lhe esta carta para ter tempo de me compreender. A velocidade do mundo hoje em dia assusta muito, não acha?

Quer tomar um café?

Telefone...

E-mail... 

Redes sociais...

***
Quando ela chegou a sua casa, encontrou um pombo-correio na janela.



Postar um comentário