quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

NOITE-SONHO( Conto retocado)



“Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.”


“O sonho encheu a noite
Extravasou pro meu dia
Encheu minha vida
E é dele que eu vou viver
Porque sonho não morre.
Adélia Prado

Minha pele está repleta de estrelas. Estou anoitecido. Ao longe, ouço o pessoal da vila a gritar, perseguem-me. Dizem que sou uma aberração. Não sinto ódio, pois compreendo que o desconhecido dá medo. De repente, os pensamentos e palavras se esvaziam em mim e sinto a totalidade da noite. Tenho a impressão de chegar ao divino vivo. Os gritos desaparecem. De repente, ouço os pássaros, passos apressados e barulho de buzina. Amanheci, porém, o sonho-noite ainda flui em mim.



Postar um comentário