domingo, 15 de novembro de 2015

Aspirante_escritor_egocentrico@google.com( outro conto inspirado em fatos reais)


Resposta:

“ Prezado Eduardo,
A editora este ano não publicará mais ficção, por isso disponibilizaremos seu material para o senhor pegar em horário comercial no endereço...

Sinceramente, apreciei seus contos, mas, tem um que particularmente me irritou um pouco. Chama-se A GRANDE MÃE, que de repente numa cidade pequena um seio gigantesco aparece e jorra leite condensado nos habitantes, os quais entram num êxtase profundo. Esta imagem da mulher-deusa que sempre se doa é um saco. Por que a mulher precisa nutrir e não consumir? Por que não escrever sobre uma Deusa-mulher-devoradora-insana que abocanha tudo que vê pela frente?  Chega dessa história de ser a mãe, a sociedade precisa de gladiadoras vorazes e enlouquecidas que só querem sentir o gozo profundo de devorar tudo e todos.

Estou me metamorfoseando em uma enorme vagina com dentes afiados. Não estou utilizando metáforas, é verdade. Meu autocontrole se esvai e meus lábios aumentam a cada segundo...”

***

Eduardo não conseguiu fugir. O planeta foi engolido por uma fenda enorme. Só restaram o vazio e as trevas. 
Postar um comentário