quarta-feira, 5 de setembro de 2012






AUSENTE

 Sempre viveu como quis. Quando a vida foi cobrá-lo, refugiou-se no seu mundo da imaginação. Alheio a tudo, viveu no hospício até o último dia de vida.

Foi feliz em si mesmo.
Postar um comentário