domingo, 12 de outubro de 2014

A PRESA

Imagem encontrada no google




Noite fria, ele observa o momentos certo para atacar. Caminha com passos leves e observa as casas. Encontra uma janela aberta de uma mansão e vê uma jovem de camisola transparente. Lambe os beiços e se prepara para invadir a casa. Facilmente destranca a porta sem fazer barulho, questiona-se como aquela casa não há câmeras e nem alarmes. Mas, seu desejo de roubar e possuir a jovem fala mais alto. A casa está escura e a luz vinha de um aposento do segundo andar. Ele se guia pela claridade e encontra a jovem, que o observa. Como caçador pressente que existe algo errado. Ela sorri e um barulho estranho ecoa no estômago dela. O último pensamento que tem é que sempre foi a presa, desde o início. 
Postar um comentário