terça-feira, 2 de outubro de 2012

POST DELETADO


Quero continuar no banho, mas não posso. A conta do gás fica muito cara. Livrei-me do chuveiro elétrico, mas preciso prestar a atenção para conta não vir muito alta. 

Domar-me é tão exaustivo, às vezes, queria correr nu e beijar as pessoas na bochecha. Gostaria de aquecer as pessoas com meu calor humano, entende? Lógico, inocentemente. 

Porém, quando passa toda hora veículos com músicas estridentes de propaganda eleitoral, tenho pensamentos assassinos e obsessivos.


Realmente trabalhar é um mal necessário, pois me faz esquecer dos instantes insanos que aparecem como fogos de artifícios em mim. 

Escrevi um conto e quando fui procurar uma imagem para ilustrá-lo, encontrei um antigo link do meu blog, onde estava o conto. Escrevi a mesma história. 

Repito-me sempre. Como disseram uma vez, preciso variar de histórias. Não consigo, quando percebo, escrevo o mesmo texto em diferentes formas ou não. Plagio-me toda hora.

Outro fato importante, por onde anda minha autocrítica? Às vezes me pego usando a máscara de artista incompreendido. Como assim? Não sou nem artista. Parece que quero me reafirmar toda hora.

Sei que me exponho nas redes sociais, principalmente com as distrações e erros de ortografia. Uma amiga, certa vez, comentou que tenho fome de letras, porque sempre estou comendo uma. Tem razão. Agora, não sei se é falta de atenção ou, na realidade, é uma fome ancestral de palavra. Necessito devorá-las para me construir. 

Enfim, entra e sai ano continuo com a mesma opinião: Escrever, para mim, é exorcizar meus fantasmas, angustias, recalques e sandices. Mas por que publicar? Talvez, quando se torna público se compartilha tudo isso, dando a impressão (na maioria das vezes equivocada) de leveza. 

Entretanto, não revelo tudo. Há segredos que precisam ser guardados, ou revelados para pessoas que são amigas verdadeiras. 

Caraca! 00h05min! Boa madrugada, amigos-leitores. 

Postar um comentário