quarta-feira, 17 de outubro de 2012

DE REPENTE, LIVRE


Imagem encontrada no google





Observou a tudo e a todos sem anotar no caderninho. Simplesmente fruiu os acontecimentos, sem pretensões de encontrar algo que sirva de inspiração para escrever. Quando olhou as páginas em branco, sentiu-se temporariamente liberto da persona escritor.


Conto ao som:

JEAN MICHEL JARRE. OXYGENE 4.




Postar um comentário