quarta-feira, 31 de outubro de 2012

conto antigo



Imagem encontrada no google




MEU MENINO   

Óculos de armação grossa. Cabelos curtos. Poeta. Olhar atrevido. Antônia. Vi-a pela primeira vez em um famoso festival literário, ela dava uma palestra sobre o seu novo livro de poemas. Como pode escrever e falar tão sobriamente com apenas vinte anos? Olha para mim todo o tempo e sorri, retribuo... Alguém da organização do evento me dá um pequeno papel: “ no hotel às sete...” . Será que ela está brincando, comigo? 

“Olá!!” disse a me ver entrar no saguão. Passeamos e conversamos sobre tudo. “ Sinto que está nervoso”. Tentei disfarçar. Tilintar dos talheres, conversa alta e agitação dos garçons nos incomodavam, “ Vamos sair daqui, me leva ao hotel”. 

Beijo. Tiro sua roupa devagar, seios rígidos e pequenos. Encaixe perfeito. Cansaço. Sono.  No dia seguinte, Antônia não estava lá. 
Quando retornei para casa, recebi um e-mail: “ Olá! Meu menino, tive um compromisso. Voltei para cidade e queria vê-lo.”. 

A partir de então sempre estarei disponível quando me chamar.

Postar um comentário