terça-feira, 30 de outubro de 2012

- CALA A BOCA




Imagem encontrada no google


Não quero saber de sua verdade, não arrote sua soberba em cima de mim. Vou pegar a estrada.  Vejo a montanha, ela me chama. Não aguento ficar aqui, sinto-me enclausurado. Encontre outro aluno. Desejo sentir novamente a água gelada da cachoeira e seu canto. Observar a dança do vento com a vegetação. Não quero saber de sua verdade, seu nariz empinado me inspira ideias assassinas. Vou embora! Sofia vem comigo, ela sempre me quis, desde o dia em que eu a encontrei andando de bicicleta. Vejo a montanha sempre tive curiosidade de escalá-la. Será que encontrarei duendes e fadas? Há uma lenda de que um poeta apaixonou-se por uma fada, subiu a montanha e ninguém mais o encontrou. Será que Sofia é uma fada? Ela nunca soube quem foi sua mãe, o pai nunca lhe disse nada.  Cale a boca! Não quero saber de sua verdade...
Postar um comentário