sábado, 9 de junho de 2012

“ Ele não deturpará o belo”


De repente, ao ouvir a música, não sentiu mais medo dela. Estava liberto das lembranças do algoz que colocava a melodia no volume máximo nas sessões de tortura. A partir desse momento a ouvia com o prazer, imaginado belas paisagens que foram substituindo as más recordações.



Postar um comentário