sábado, 11 de dezembro de 2010




PERSPECTIVAS


“Todos me ignoram, mas estou nem aí.”

“ Como sempre, ele está calado e com o olhar superior em relação a tudo e a todos.”

“Um dia, eles vão ver. Os meus projetos irão se concretizar.”

“Não gosto dele! Sempre metido e envaidecido consigo mesmo.”

“Eles me ignoram e eu os ignoro. Não vou perder o meu tempo em tentar ser simpático.”

“ Não vou falar com ele. É uma pessoa estranha.”


A noite segue seu rumo e os dois personagens continuam a construir
 uma muralha intransponível entre eles.
Postar um comentário