quarta-feira, 22 de dezembro de 2010



FLUXO


Duas janelas em seu rosto observam várias janelas da rua através da janela do ônibus .



A velocidade do automóvel faz como que elas se tornem diluídas.


Ele admira a imensidão de possibilidades que pode percorrer, mas é um ser finito e precisa focar seu caminho, senão ficará perdido por aí.
Postar um comentário