quarta-feira, 18 de maio de 2016

NOITE FRIA E CHUVOSA...





NOITE FRIA E CHUVOSA...

Um vulto aparece e toca a campainha. O dono da casa atente:

- Bá? Está fria e muito pálida. O que aconteceu e como chegou aqui?

- Filho, vim me despedir.

- Como?

- Irei pro além, querido. Mas, não tenha medo de mim. Não sou alma penada.

- Claro que não. Só que já estou sentindo saudade. Sempre me contou histórias de terror que me ajudaram muito a escrever meus livros, obrigado.

- Não precisa agradecer, menino. Você sempre foi talentoso nas letras. Quero te contar um segredo. Lembra-se da história do fantasma do noivo que sempre acompanhou sua amada e por isso ela nunca se casou?

- Recordo.

- Olha na esquina, ele está lá.

- Vejo um homem com uma roupa antiga. É ele mesmo?

- Filho, está me esperando para vagarmos pela eternidade. A noiva sou eu.

- Nossa, guardou por anos este segredo.

- É que sofri tanto, que tentei apagar este amor. Porém, ele nunca me deixou esquecer. Seguia-me por todos os cantos, até nos meus sonhos.

- Não querem entrar um pouco para descansar. A viagem que farão é longa.

- Não precisa, estamos de partida.

- Boa sorte!

- Até um dia desses.




Postar um comentário