sábado, 14 de maio de 2016

A TÃO PROCURADA SACIEDADE



Imagem encontrada no google

Trituro a bala e o ápice do prazer não vem, sinto-me vazio. Por que não consigo chupar a bala vagarosamente, dissolvendo-a aos poucos até desaparecer na minha boca? Talvez, consiga satisfazer minha voracidade com uma e não precise sorver várias, levando-me ao enjoo e à culpa. Um dia, tentarei usar a língua para conduzi-la a todos os recantos da minha boca. Serão dois dançarinos a bailar no salão imenso de festa. Aí, descobrirei a saciedade e encontrarei a serenidade, é o que mais desejo! Inclusive, acabar com esta fome que só produz vácuos em mim.

***

Ao som...




Postar um comentário