domingo, 17 de janeiro de 2016

Luz, Terra e a História Oficial

Princesa Luz

Perverso Polimorfo de Freud, quadro de Salvador Dali




 Quando vi Serafim através da janela do salão, resolvi ceder às investidas do mestre cavaleiro. Queria a liberdade e não uma imagem de virtude. Ninguém sabe o caos que cresce dentro de mim. Em sonhos vejo-me uma grande-felina-alada e quando acordei, estava com passarinho na boca e o sangue da frágil criatura escorrendo em meu rosto deixava-me viva. Ser guardiã do cristal do poder eterno é um fardo, o qual não quero mais carregar. Pronto, Serafim foi embora decepcionado. Agora, estou liberta da imagem santificada que me irrita tanto. Quando vier a madrugada, o mestre dos cavaleiros me levará para caçar, estou tão ansiosa. Sinto que sempre fui uma caçadora. Mas, não é um desejo frívolo, mas uma fome que ultrapassa minha alma.

A princesa Intocada


"O amor platônico é um castigo que a mente deve sofrer pela inocência do coração." Leonard Cebin

Serafim era o cavaleiro mais devoto da princesa, que era guardião do cristal do poder eterno, fonte de tanta grandeza. Lutava contra todos os inimigos que almejavam usurpar o artefato de grande valia das mãos da princesa. 

Um dia, foi levar uma flor para ela e a assistiu flertando com o mestre dos cavaleiros. Sentiu-se enojado com a cena e viu a imagem, que tinha da princesa, partir-se em vários cacos.

Quis ir embora, mas pensou nos habitantes do reino, precisava protegê-los. Resolveu ficar e lutar com bravura para proteger a princesa. Todos pensavam que Serafim era o cavaleiro mais devoto dela, mas ninguém soube o nojo que lhe nutria. Protegia-lhe somente porque era guardiã do cristal do poder eterno.  

Assim, o reino e seus súditos estavam protegidos.

Terra


“Pode-se amar até a loucura uma mulher feia, por encantos que superam os encantos da beleza” Jan Paulhan

- Nunca será bela! Sua fealdade é ancestral. É uma aberração! Sente ódio pela princesa Luz, porque nunca terá sua beleza...

A jovem Terra desviou outra vez o olhar do espelho, que refletia vários rostos e os quais a insultavam todos os dias. Decidiu que nunca mais veria seu reflexo no espelho.

Refugiou-se na floresta escura, integrando-se totalmente no ambiente. Encantou-se com sua pluralidade e de como as realidades de cada ser se totalizavam. Então, percebeu que a realidade daqueles indivíduos e do espelho, só era uma pequena janela no oceano de portais. Não se sentiu mais feia e, pela primeira vez, teve trégua da amargura, transbordava felicidade.

Resolveu banhar-se no lago. Quando Serafim a viu, estremeceu-se. Nunca tinha sentido isso por ninguém, nem pela princesa Luz. Até se esqueceu dos motivos de estar por ali. Estava investigando se havia inimigos na floresta. O coração pulsava rápido e as regiões do corpo, até antes nunca exploradas, despertaram como vulcão.

Terra percebeu que estava sendo observada e sabia quem era. Chamou por Serafim, sempre fora apaixonada por ele, mas o cavaleiro nunca lhe deu atenção devido à adoração pela princesa. Ela o observava de longe na aldeia e secretamente torcia para que sempre vencesse as batalhas.

Em silêncio se amaram por muito tempo. Terra viu através olhos de Serafim que estava bela. A partir daí ficaram juntos e com o tempo nasceu o amor sereno.

Quando Serafim ia proteger a princesa Luz, guardiã do cristal do poder eterno, Terra o esperava na floresta, observando o templo fluir. Ao retornar, os dois se completavam porque sempre se descobriam ao longo do tempo. Ninguém nunca soube deste romance, Terra e Serafim decidiram guardar só para eles os momentos que fruíam juntos na floresta negra.

Já na História Oficial só se conheceu a batalha dos cavaleiros e valentia de Serafim para defender o reino e a princesa Luz, a guardiã do cristal do poder eterno.


Postar um comentário