domingo, 7 de dezembro de 2014

ACHADOS E PERDIDOS


Imagem encontrada no  google
Foi uma surpresa para todos de eu começar a escrever sem parar. Perguntam como acendeu a chama do meu eu-escritor. Não revelo o segredo, porque muitos me acharão louco, bem... Confesso que tenho um pezinho na loucura, mas ninguém precisa saber disto, não é mesmo? Queridos leitores, como vocês são meus melhores amigos, somente lhes revelarei meu segredo. Um dia desses, entrei numa confeitaria que havia anos não mais frequentava, o que me lembrava pela ultima vez, foi quando era menino. Quis entrar e ao sentar à mesa, um garoto que aparentava ter oito anos surgiu e me fez uma pergunta curiosa: “ E aí, vou me tornar escritor?”, depois saiu correndo e não o vi mais. Ao chegar a minha casa, tive a ideia de ver o álbum de quando era criança. O menino estava lá, ele era eu. Fiquei surpreso e o coração começou a acelerar. Logo, do choque do início, um prazer de descobrir que ainda podia me surpreender fluiu por todo meu corpo. Liguei o computador e comecei a escrever textos que jaziam no meu inconsciente. Até hoje, produzo-os e os reinvento vertiginosamente e, quando me olho no espelho, vejo o menino piscando para mim e se dissipando no ar.

***

Conto ao som..


Postar um comentário