terça-feira, 24 de setembro de 2013

BAILE DE MÁSCARAS


Imagem encontrada no google


Saio do banho e vou para o quarto, onde as máscaras fazem algazarra. Adoram discutir, conversar e até brigam.

Lembro-me de cada uma, quando surgiram pela primeira vez. No  início as odiava, mas aos poucos foram mostrando que fazem parte de mim. À medida que fui crescendo, moldei-as conforme as necessidades.

Desde criança, ouvi dizer que a pessoa mascarada é mau caráter, porém na prática consegui sobreviver por causa delas. Tornei-me multifacetado e isto me deixou com habilidade, para me proteger das adversidades.

Atualmente quando ando nas ruas, sinto-me em um antigo teatro grego, onde os atores atuavam com máscaras.

Depois dos conflitos, bailam no quarto. Quanto a mim, vejo um filme na tevê, esquecendo-me um pouco de mim.


Postar um comentário