quarta-feira, 7 de agosto de 2013

"AGENCIADOR"

 
Imagem encontrada no google

Ele não quer, mas eu o obrigo. Sou seu senhor e não pode me desafiar. Precisa saber o seu lugar. Quando o forço a se vender, chora muito. Mas, não tenho pena, preciso de grana. Aliás, tem que me agradecer por sua existência. Sem mim, não existiria e nem teria um lugar para ficar (mora em baixo da minha cama). Sempre fica lembrando-se do passado, quando éramos crianças. Porém, os tempos são outros e não posso entrar na conversa de um amigo imaginário. Aproveito que sua forma se modifica de acordo com o desejo dos “clientes”,  para faturar muita grana. Comprei até uma cobertura no Leblon.


Postar um comentário