domingo, 6 de fevereiro de 2011




IGUAIS

Olharam-se e se reconheceram. Eram iguais, mas não eram gêmeos, nem clones e sim feitos do mesmo barro. Atravessaram a cidade felizes, juntos e sem se preocupar com os olhares temerosos e cheios de raiva dos transeuntes. Se amavam sem culpa.




Postar um comentário