sábado, 5 de fevereiro de 2011




GOZO

Corpos unidos percebem a gota da torneira se esborrachar na pia e se fragmentar em várias gotinhas; o gato devorando um rato na esquina, um solitário caminhando pela rua, uma coruja na árvore; a mãe amamentando o filho, o poeta escrevendo versos num guardanapo engordurado, um leitor com olhos absortos no livro que achara sem querer num sebo, um corpo inerte e a família a sua volta chorando; um cachorro fazendo festinha para sua dona que está muito cansada...

Neste espaço de tempo, sentiram dores, alegrias e prazeres de inúmeras pessoas. Estavam conectados ao planeta.



Postar um comentário