segunda-feira, 3 de janeiro de 2011



“NOITE ESTRELADA E VADIA"

Eu a quero só para mim
admirá-la sem concorrentes

possuí-la vorazmente
Já que insiste em ser de todos
tentarei cansá-la
Por que faz isto comigo?
Vou beber para esquecer
Tão bela e iluminada
Clareia-me!
Deixa-me penetrá-la,

Não sou de fazer poemas
Só escrevo para você
que sequer olha para mim
Continua servindo a todos

Noite estrelada e vadia
Vou trocá-la pelo dia!
Postar um comentário