quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

EM UMA TARDE DE CINEMA








"O cinema só trata daquilo que existe, não daquilo que poderia existir. Mesmo quando mostra fantasia, o cinema agarra-se a coisas concretas. O realizador não é criador, é criatura" Autor: Manoel Oliveira






Dona de casa que aproveita o filho na escola, para suspirar um pouco por seu ator preferido





Amantes que aproveitam a escuridão para se emaranhar em carícias. Identificam-se com os amantes do filme.





Adolescentes fazendo algazarra a cada cena de ação. Seus olhos brilham com as aventuras do herói e com o medo de serem descobertos matando aula.





Num canto, o solitário deixa cair a carteira. Está inerte. Ninguém percebe, mas aparece rapidamente no filme como um figurante passando pela rua.








Postar um comentário