domingo, 7 de novembro de 2010


RECORDAÇÕES

Quando o pai começava a sapatear, o filho o imaginava num tempo distante, dançando ao redor da fogueira junto a um bando nômade, cujos membros só eram cativos do vento. Então ele perguntava, “papai, por onde você anda?” e o homem respondia com um sorriso discreto. Anos depois, remexendo nos objetos do pai já falecido descobriu a foto de um menino dançando e um par de sapatos próprios para sapatear.
Postar um comentário