quarta-feira, 16 de setembro de 2009

TESOUROS*

Não sou autor do desenho


Sempre tive a curiosidade de saber, como os escritores constroem suas histórias. Deitado na minha cama, olhava para o teto do quarto. Às vezes, meus pais ficavam preocupados, quando me viam quieto no quarto por muito tempo. Um dia, quando estava quase dormindo, o esboço de uma princesa apareceu de repente. Era de madrugada. Sua aparência era formada por rabiscos indefinidos e em preto e branco. Fiquei surpreso com a sua aparição:


– Quem é você?

–Sou um esboço de uma princesa.

– Você é tão bonita, de onde você vem?

– Venho do Reino dos Esboços e dos Rascunhos. Quer conhecê-lo?

– Desejo sim.

Ela me levou ao mundo que havia um mar de figuras inacabadas e palavras rasuradas; as folhas das árvores eram palavras soltas e fragmentos de desenhos; o sol e a lua, um do lado do outro, eram apenas rabiscos sombreados. Apesar deste mundo fosse sem cor, tudo era vibrante na essência.

– Desenhistas, escritores e pintores visitam o Reino dos Esboços– disse a princesa esboço.

– Posso visitar este lugar, a hora que eu quiser?

– Claro que sim, esse lugar é livre.

– Você já se viu pronta? Se é linda como inacabada, imagina pronta.

– Não quero ser acabada. Gosto viver aqui, onde as idéias se originam. Aqui tudo se modifica.

– Falando assim, queria ser esboço também. Bem, já está na hora de regressar. Amanhã, tenho aula cedo.

– Quando quiser voltar, é só me chamar.

Com o passar do tempo, meus pais não entendiam a minha razão de colar um monte de rabiscos e textos rasurados nas paredes do meu quarto. Nunca disse nada a ninguém, que os meus verdadeiros tesouros, eram os rascunhos e os esboços que faço. São manifestações primeiras das minhas idéias.

Até adulto, deixo-me levar pela Princesa esboço.


*Escrito em 2005
Postar um comentário