quinta-feira, 24 de setembro de 2009


Crédito da imagem:http://www.cultura.mg.gov.br/arquivos/AcaoCultural/Image/andarilho.jpg

TABU

Havia uma faixa branca no meio da praça que lhe diziam que não podia atravessar. Ninguém do povoado soube se alguém cortou a fronteira, mas se passava o conhecimento ancestral que era proibido cruzar a demarcação. Os mais idosos comentavam que a cidade seria amaldiçoada. Ele não digeria este impedimento e, na calada da noite, cruzou a linha. Um vizinho viu e fez um escândalo. Os morados saíram apressadamente e o expulsaram do povoado. A única coisa que os pais dele puderam fazer foi arrumar uma mala improvisada e lhe entregaram para ir embora. Pegou a bagagem e desapareceu no horizonte. Não estava sozinho, o seu cachorro o acompanhava. Não acreditava em tabus.

Postar um comentário