domingo, 9 de outubro de 2016

A VIZINHA



Nunca troquei uma palavra com ela. Mas, adorava quando ouvia aquelas músicas tranquilas que me faziam viajar.

Em muitas ocasiões, encontrava-a lendo no ônibus e procurava anotar rapidamente o título do livro. Seguia-a e consequentemente descobri um mundo novo, repleto de bons restaurantes, livrarias, cinemas,
bibliotecas e museus.

Um dia, mudou-se e nunca mais a vi. Gostaria de ter tido oportunidade de agradecê-la por me inspirar a apreciar o que existe de belo no mundo.

***


Postar um comentário