domingo, 14 de junho de 2015

Eu sou assim...




quando escrevo mudo as formas verbais ao meu bel prazer não pontuo direito violento as regras de concordância e gramaticas tenho coesão e coerência nula parece que meu texto está vivo e muda a cada batida de seu coração começo em terceira pessoa depois mudo para primeira pessoa aí transformo o personagem humano em uma gelatina cósmica- translúcida- intergaláctica tudo fica orgânico demais com secreções e cheiros nada de pensamento e sem forma entro num terreno desconhecido e me entrego gozando não sou mais quem sou quem sou eu? O texto sou eu e eu sou o texto que acumula EM TEMPO e RESSALVO RASURAS CACOETES VÍCIOS DE LINGUAGEM RECORTES ATALHOS MEU DEUS quem abrir a porta do meu quarto verá uma criatura indescritível CHEGA entrego-me ao gozo do mistério-orgânico- imperfeito
Postar um comentário