segunda-feira, 27 de abril de 2015

ESPECIAL E PROFUNDO III



“Mais uma obra polêmica e impactante de E.O.F. Nela, ele remete como todos nós encaramos o outro como uma coisa que pode ser usada e jogada fora. Mostra a fluidez dos objetos descartáveis da modernidade líquida, além de mesclar o lirismo e o lúdico da infância. E.O. F apesar de ser um artista de muito conhecimento, não deixa de lado seu lado ingênuo. Essa dialética entre o intelectual-artista e a criança que reside dentro dele tornam suas obras mais profundas e enigmáticas. Inclusive, E.O. F é um artista que sempre está em contato com o cosmo do universo.". (Análise de Cassandra Britney Jerusa Emanuelle, Antropóloga e Doutora em Cultura Contemporânea).


Outros textos relacionados




Postar um comentário