sexta-feira, 21 de novembro de 2014

COMPLETAMENTE SÓ

Imagem encontrada no google

Não suportava mais ser “invisível” para as pessoas. Desde pequeno o tratavam com indiferença e diziam: “ Nem fede e nem cheira...”. A cada ano que passava, a solidão tornava-se cada vez mais pesada.

Um dia, com ódio do mundo, jogou uma lata de refrigerante com toda força da janela do ônibus, provocando um acidente terrível. Nem ligou, estava imerso em si mesmo.

Quando chegou à sua casa, encontrou o apartamento cheio de gente que gritava com ele. No início, surpreendeu-se, mas, começou a gostar dos insultos que rompiam o silêncio sepulcral, o qual o cercava por vários anos. Um homem tentou socá-lo, só que a mão atravessou o rosto do solitário sem o machucar. Então, todos na sala perceberam que eram fantasmas e que o único que os via era aquele ser estranho e sozinho.

Pela primeira vez, o solitário deu uma gargalhada e gritou:
- Nunca mais me sentirei só!

Nem se importou com o  protesto dos fantasmas, amaldiçoando-o por toda eternidade.



****
Curioso que esse conto veio, quando estava dormindo na sala de tarde.  

Postar um comentário