terça-feira, 27 de maio de 2014

Outro conto antigo e ridículo



Imagem encontrada no google


EDUARDO: O GORDINHO FELIZ E CHARMOSO


Ninguém poderia imaginar que a maravilhosa, gostosíssima Juliana e o seu respeitável galante esposo fizessem aquele ato tão horrendo, o qual repercutiu em todos os jornais do país.
Essa história aconteceu há dez anos...

            Eduardo não era muito bonito, mas muito meigo e simpático. As pessoas o adoravam, morava com os pais e a noiva ( por sinal uma gata). A mãe e a noiva disputavam quem iria fazer os doces que ele gostava. Quando foi trabalhar no novo emprego, a chefe Juliana era muito bonita e rigorosa. Era esposa do presidente da firma, culta, achava que as pessoas tinham que cuidar do corpo e estudar, por isso, ao ver Eduardo, achou-o repugnante. Seus colegas o consideraram muito engraçado.
          Quando os pais e a noiva ligavam para o celular, para reclamar um dos outros, ele tentava apaziguar:
-          Mãe, não implica com a Marlene Maria, deixa ela fazer o brigadeiro que eu gosto.
-          Pai, não escute o rádio alto, o pessoal de casa está reclamando.
-          Marlene para de ciúmes, deixa minha mãe preparar o bolo de castanha que gosto tanto. Ah!! Você já passou aquela camisa vermelha e encontrou meus cordões de ouro, pra gente ir à gafieira? Encontrou?! Te adoro meu docinho de coco bem rechonchudo.
           A única que não achava graça era sua chefe, mas seu jeito engraçado de ser foi conquistando-a aos poucos.
            Um dia, Marlene Maria( sua noiva) quis fazer uma surpresa. Foi visitá-lo no trabalho. Ela era um pouco extravagante, usava um vestido justíssimo e estampado com flores amarelas; o decote mostrava a exuberância dos seus enormes seios. Os homens da empresa ficaram impressionados, como aquele gordinho medonho tinha uma namorada tão atraente. Até despertou a atenção do presidente da firma, esposo de Juliana.
            Bem, Juliana e o marido gostavam de apimentar a relação, convidavam outros casais para fazer swing. Ela queria ver o potência de Eduardo e o marido desejava o corpo de Marlene Maria. Conversaram sobre o assunto:
-          Você viu a noiva do gordinho escroto?
-          Não, mas disseram que era linda. O Eduardo me atrai e sei que a noiva dele também te atrai.
-          Sim, que tal nos o convidarmos, para passar esse feriado prolongado na nossa casa de praia?
-          Acho divino, nós vamos curtir bastante.

      A chefe fez a proposta para Eduardo, ele estranhou, porém ela disse que era importante para discutir uma promoção. Disse que podia levar a noiva. O rapaz levou Marlene Maria eles (pobres inocentes) à toca do lobo.
  Contudo, ao perceberem quais eram as intenções do casal anfitrião, quiseram ir embora. O presidente e sua esposa tiveram um surto:
 - Como eles não querem a gente? Nós somos bonitos, jovens e magnatas!!!
Pegaram duas espadas de samurais da coleção, que possuíam na parede da sala, para matar o outro casal. Foi uma perseguição feroz.  A casa de praia ficava numa ilha distante e incomunicável. Mas, graças a deus, Eduardo e sua noiva foram salvos por pescadores, que no momento passavam em frente da ilha. Foram direto à polícia.
     Quando os policias chegaram lá para prendê-los, o casal tinha se matado.
      Eduardo e sua família resolveram se mudar para evitar o assédio da imprensa.  Foram buscar a verdadeira felicidade e a acharam rapidamente. Ele virou um excelente dançarino de tango e escritor de romances policiais. Sua noiva e seus pais ficaram sendo seus empresários.
    Eduardo e Marlene Maria tiveram cinco filhos: Maria Lunar, Pérola Verde, Água corrente, Sol nascente e Amor Remoto.
    Enfim,  foram felizes para sempre!!!      






Postar um comentário