quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Desde menina...

Imagem encontrada no google

Caminhava pela praia e olhava fixamente o mar. Quando se casou, continuou com a rotina e o marido ficava preocupado, pensando que ela esperava por outro. O tempo passou e o ciúme aumentava, mas não aparecia ninguém.

Um dia, viu a mulher escrever em uma folha de papel e jogar no lixo em seguida. Pegou o papel rapidamente: “O mar e eu e eu e o mar. Mal me quer ou bem me quer?”


O homem ao perceber sua insignificância, em relação à imensidão do amante, desistiu de ter ciúme. 
Postar um comentário