quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

À MARGEM




Em um mundo, onde se precisa de senhas para viver, decidiu apagá-las da memória para ser livre.


Agora vaga pelo mundo, como uma folha ao vento.


***
Versão diferente sobre o  mesmo  tema:



Postar um comentário