quarta-feira, 20 de novembro de 2013

NÃO É FERIADO?


Acordo. Será? Lavo o rosto e vejo a noite se esvair no ralo. O que farei mesmo? Já sei, vou trabalhar. Desço para tomar café e fico feliz de ter sobrado doces da festa da minha sobrinha. Quando como doce de festa, torno-me criança outra vez. Quis ser tanta coisa quando menino, até astronauta. Mas, ao pensar que poderia ter uma caganeira e a merda, como uma mancha flutuante me perseguindo, desisti de ser rapidamente. Espera um pouco, hoje é feriado. De quê? Voltarei a dormir. O telefone toca, é meu chefe perguntando o porquê não cheguei ainda. Disse que é feriado e ele responde que o feriado só será na semana que vem. Vou me apressar, então. Merda! A cachorra estraçalhou meu único par de sapatos, vou de chinelo. Espera! Tem um filhote de gambá em baixo da minha cama!  A cachorra o adotou, como ela é enjoada com esse transbordamento de amor materno. Poderia doá-lo para muitas mães que não estão nem aí para os filhos. Não posso me esquecer, tenho que habilitar o novo cartão de segurança do banco que veio pelo correio, segui as instruções e tentei fazer por telefone. Entrei num labirinto de opções e atendentes, fiquei com medo de encontrar o Minotauro. Será que sou tão burro assim ou o SISTEMA que é complicado? Caramba, tenho que parar de pensar e agir. Não! Acabei de tomar banho e esqueci a toalha. Agora, vou atravessar a casa, encharcado. Tomara que as coisas não piorem, o dia só está começando.


    
Postar um comentário