sábado, 23 de julho de 2011





UM DIA NO PARQUE


Quando a filha foi fazer carinho no gato de rua e ele a arranhou, lembrou-se de um colega de infância que a empurrou quando tentou beijá-lo. Pensou: “ Existem almas tão violentas, que um carinho, para elas,  significa cárcere.”. O gato desapareceu como o coleguinha.


Postar um comentário