domingo, 11 de abril de 2010




ERUPÇÃO

Quando a razão pousava outra vez em sua cabeça, enxergava a destruição que causava ao redor. Ao perceber o medo das pessoas que mais amava ao observá-lo, fugiu para um lugar inóspito, onde a imensidão engolia seus destemperos.  
 

Postar um comentário