terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

AMIGO


Imagem encontrada no google


- Quando fugia de mim, tornei-me outros e perdi fragmentos dos quais fui, quando tropecei em pedras no  meio  do caminho. Então, um dia, encontrei-me através da minha fuga. De certa maneira foi bom fugir, pois se eu ficasse, continuaria perdido. Sei que isso é difícil de entender, nem eu compreendo. Mas, é como me sinto. Ao me perder, eu me achei e tudo que passei, faz parte de minha essência. Bem, preciso ir. Obrigado por me ouvir. O senhor é um poeta importante, não é mesmo? Seu nome me escapa da memória. Não importa, sempre voltarei para conversar contigo, meu amigo.


domingo, 22 de fevereiro de 2015

AMANTES E INIMIGOS




Quanto mais se odiavam, sentiam forte atração. Machucavam-se e ao mesmo tempo se devoravam. Um dia, perceberam que o ódio e o desejo se esvaíram de seus corpos. Despediram-se.

ESTRELA


Foto tirada pelo celular

A luz que vem de fora incide na grade da janela, projetando sua sombra. De repente, vejo uma estrela que ilumina minha escuridão.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

“VACA”




Luiz Antônio sempre sonhou em ser escritor de sucesso, mas nunca escreveu um parágrafo sequer. Ele não pensava na escrita e sim no status de um escritor de renome que mora em uma ilha paradisíaca e numa espetaculosa mansão. Sonhava acordado com os prêmios literários, champanhês e festas de arromba com celebridades internacionais. Imaginava até aventuras eróticas com modelos que iriam visita-lo, ficando admiradas por sua cultura, inteligência e o corpo malhado. Pois, além de escritor, em devaneios, também, dedicava-se três horas e meia de treino na sua academia particular.

Um dia, resolveu escrever um best-seller e decidiu se matriculou numa oficina de contos de certa senhora escritora. Achava que resolveria todos os seus problemas, já que ao fazer a oficina, poderia conhecer contatos de alguma editora bacana.

Com o passar das aulas, percebeu que o ato de criar não era tão fácil assim. A inspiração não vinha somente com as ninfas que pegavam carona com a brisa da alta madrugada, pelo contrário, a senhora mostrou que para escrever ficção precisava muito estudo e trabalho.  Luiz Antônio se aborreceu com a descoberta de que não seria tão fácil como pensava.
Tentava ler os livros sugeridos pela velha escritora e, em seguida, surgia um tédio terrível e as pálpebras ficavam pesadas. Quando tentava escrever, empacava, ficando horas em frente ao computador. O arquivo em branco do Word mostrava com ele era vazio de ideias.

Desistiu da oficina em poucas semanas. Ficou com raiva da senhora escritora, pois ela destruiu seu sonho de ser um célebre escritor, sem nenhum tipo de esforço.




segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

NÃO PENSADO




Fotos malfeitas tiradas do meu celular

Mesmo sentindo desejo de beber o reflexo da lua, o orgulho de ser um ser racional falou mais alto. Então tirou uma foto malfeita do seu celular. 


Ele a vê várias vezes e se faz lobo em sua imaginação, bebendo o reflexo da lua com gozo sentido e não pensado.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Diálogo inspirado numa série americana famosa sobre vampiros e outras criaturas fantásticas...





- Oi, Pâmela Brenda. Quebrei o pescoço do Jonathan e peguei a pedra lunar mística para resgatar a Candancy do mundo paralelo. Temos algumas horas, já que Jonathan pode acordar a qualquer momento, é um vampiro híbrido com lagartixa do deserto. Como? Você não pode me ajudar, por quê? Foi fazer uma participação especial em outra série dos mesmos produtores da nossa? Por quê? Lutará com uma bruxa poderosa que quer abusar dos lobisomens? Mas, você não tem nada a ver com isto, volta para sua série de origem e me ajude! Antes que Jonathan acorde e quebre meu pescoço de novo ou me aprisione no deserto de vampiros desesperados. Poxa vida, sou o vampiro do bem e não quero sofrer o tempo todo. Também, tadinha da Candancy, por que ela sempre tem que se separar da gente e ficar numa realidade paralela? Só porque é a única personagem negra e bruxa da série? Isso é preconceito! Pâmela Brenda, por favor! Espera! Precisa desligar, lobisomens hipnotizados querem te devorar?!!! Está certo, acaba logo então esta participação especial e volta para me ajudar. Até lá, preciso me esconder, quando Jonathan despertar...



- ENCONTREI UMA FÁBRICA DE NUVENS!

Foto tirada pelo celular


- Querido, já tem 36 anos para saber como as nuvens são feitas.

-Como?

- Vai pro google.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

PIERRE E CALEBE


Imagem encontrada no google

Helena quando conheceu Pierre se encantou. Era um homem bonito,  bondoso e nunca perdia a paciência. O único problema era que Pierre tinha a foto do irmão falecido e gêmeo (Calebe) por todo apartamento e Helena se incomodava um pouco com este fato. Mas, Pierre era tão especial, que Helena relevou.
O tempo passou... Helena se casou com Pierre e foi morar no apartamento dele. No início, queria fazer uma reforma no lugar e tirar as fotos espalhadas de Calebe.
Todavia, não queria magoar os sentimentos do marido e resolveu deixar para lá, mais uma vez.  Além da bondade de Pierre, ele foi o único homem que satisfez Helena na cama e a jovem se sentia completa.
Na verdade, Helena não se entregava para Pierre. Quem a possuía era o espírito de Calebe. Pierre amava Helena, mas não gostava de sexo. Ele  passava a madrugada inteira, dando comida aos mendigos, já que sentia um prazer sem limites, quando ajudava  ao próximo.
Ao amanhecer, Pierre entrava no quarto de mansinho para não acordar Helena, que dormia tranquilamente. Olhava agradecido para foto do irmão e Calebe retribuía com a fisionomia de cumplicidade.