sexta-feira, 28 de junho de 2013

O INTRUSO






Chego. Ele está na casa e finjo que não vejo. Olha-me fixamente e assisto tevê como se nada estivesse acontecendo. Continua a me olhar. O telefone toca, é um amigo. Digo que o “intruso” está na casa. Ele diz que preciso tomar uma decisão. Não consigo e coloco o telefone no gancho. Mesmo assistindo horas a tevê, continuo a ser observado. Desisto! Vou deixá-lo entrar na minha vida. Vou à cozinha e jogo um pedaço de queijo. O rato aparece e pega o naco rapidamente.
Postar um comentário