segunda-feira, 29 de junho de 2009


PASSOS NA MADRUGADA


Caminha devagar pelo corredor escuro. Olhos atentos observam a tudo. Encontra a porta semi-aberta e um casal deitado; aproxima-se como uma fera prestes a dar um bote. Sobe na cama para ficar entre o homem e a mulher. Os dois, sem abrir os olhos, abraçam a criança.

Postar um comentário