sexta-feira, 31 de maio de 2013

O céu...



Quer me abraçar, mas tenho medo dele me engolir. Sou tão pequeno. Então, começo a dançar com o vento e me torno gigante. Eu o abraço, mas ele continua imenso e continuo ínfimo na sua presença. Retorno para meu quarto  e impotente de meus braços não alcançarem o céu. Vencido,  durmo e minhas lágrimas molham o lençol. Todos me acham louco. Tentei ser igual a eles, mas sou diferente. Nasci para abraçar o céu.

GOSTO


quinta-feira, 30 de maio de 2013

DESCOBERTA


Imagem encontrada no google


Depois de ver a namorada beijando uma garota, algo despertou dentro dele. Descobriu-se gay.


quarta-feira, 29 de maio de 2013

AO AMANHECER


Imagem encontrada no google



- BOM DIA, FILHO QUERIDO.

Viu uma mulher humilde em frente à cama e pensou: “ Onde estava, era rei.”

terça-feira, 28 de maio de 2013

domingo, 26 de maio de 2013

SOU EU NOVAMENTE




Estou há semanas sem escrever, nem mensagens nas minhas redes sociais. Sinto falta de ar e não durmo. Estou deserto. Socorro! Leio e vejo filmes, nada. Sonho, nada. Já não sou mais eu, não me reconheço quando me olho no espelho. As palavras são minha janela para o mundo. Vou me matar, quando não escrevo me sinto um ser inanimado. Por que a inspiração me deixou? A página em branco do Word perfura meu coração. Estou à deriva e ninguém pode me ajudar. Pela janela todo tipo de gente e quero caçar uma história. Se alguém estiver a me observar, pensará que sou um predador.  Talvez seja, mas não por carne, mas por ideias, casos e histórias que possam servir de alimento para minha imaginação desértica... Nada, as horas passam... Nada. A luz do sol bate na minha cara, amanhece. Uma torneira se abre em mim, jorrando várias ideias.  A página em branco é manchada por várias palavras que se tornam frases, orações, parágrafos, contos, crônicas, ensaios e romances. Graças a Deus, estou salvo. O deserto desapareceu e estou numa floresta rica de fauna e flora. Agora, sou eu novamente e respiro levemente.

sábado, 25 de maio de 2013

INVASORES


Imagem encontrada no google

Desde pequeno era ignorado, então construiu um mundo encantado onde ele era o rei, rainha, príncipe, princesa, bruxa, bruxo, guerreiro, guerreira, deus, deusa, diabo, árvores, flores, abismos, sol, lua, céu, mar, dragão, fada... Um dia, viu seu mundo invadido por outras pessoas, que usurpavam tudo que viam pela frente. Os intrusos eram as pessoas que liam seus diários. Queimou todos os diários, para que ninguém usurpasse seu mundo particular.

terça-feira, 21 de maio de 2013

- A PESSOA QUE ESPERA NÃO VEM



Imagem encontrada no google




“Espero você nesse momento. Um avião passa, as nuvens atravessam a lua, um grupo de amigos fazer algazarra; os carros engarrafados buzinam. Você ainda não chega. De repente, vejo uma pessoa se aproximar e a reconheço. Ela diz: - A pessoa que espera não vem.-. Olhei-a indo embora e continuei a aguardar você.”

***
“ Não estou afim de encontrá-la. Um avião passa, as nuvens atravessam a lua, um grupo de amigos fazer algazarra; os carros engarrafados buzinam. Vejo-a em frente a um bar. Eu disse: : - A pessoa que espera não vem.-.  Fugi sem olhar para trás. “

segunda-feira, 20 de maio de 2013

TRAUMA



Desde menina, Laura tinha pesadelos que era atacada por vários homens. Mesmo com o passar dos anos, não se acostumava com eles e ficava longos períodos em depressão.

 Fez anos de análise, mas não houve melhora. Um dia, ao assistir um filme na tevê sobre uma garotinha, que houve escondida uma sessão de terapia do pai com uma paciente, vítima de estupro, uma lembrança muito antiga surgiu em sua consciência. 

 Quando era muito pequena foi brincar na casa de uma coleguinha, que o pai era psicólogo. Quando estavam brincando de pique-esconde, ela entrou no consultório, que ficava nos fundos do quintal da casa. Escondida embaixo do sofá, ela viu o pai da colega e uma jovem entrar. Teve medo de sair de lá e levar bronca.

 Ouviu a história da paciente e mesmo não entendo muito bem, as palavras da jovem a marcaram como se fosse a própria vítima.

 Depois da revelação, Laura sentiu-se livre. 

- Olá, sou seu fã. Bem...




- Não conheço quase toda sua obra, mas li um conto que foi uma revelação para mim. APRENDI TUDO com ele, entende? Também li algumas citações suas na Internet, MUITO REVELADORAS, e AMEI. Como? Tenho que ter cuidado? Há textos que não são de sua autoria? Mas, tinha sua essência. Espera um pouco... Por que você está sendo agressivo comigo, falando desse jeito; “ Não me conhece, para de falar merda!”. Cara, você é um boçal, só quis ser educado contigo. Se acha, só porque escreveu uns livrinhos de merda e “outsider”. Quer saber do que mais, dormi de tédio ao ler seu conto. Só tem putaria e palavrão, que já é uma coisa já bem batida na nossa literatura. Muitos escritos já fazem isso melhor que você. Tchau, seu babaca de merda. FODA-SE.

sábado, 18 de maio de 2013

DOCES LEMBRANÇAS


 
Imagem encontrar no google

Lembro-me que adorava passear na fazenda dos meus avós. Era tratado com um “reizinho” por todos. Quando brincava com os filhos dos empregados, sempre era o líder. Tempos felizes...

Mas, um dia, um monte de homens armados invadiu a fazenda, prenderam meus pais e meus avós. Os empregados com seus filhos se abraçavam felizes e fiquei sem ação.  Uma antiga empregada abraçou-me e a ouvi pedir para os caras armados me deixasse ficar com ela. 

Então, fui morar com ela numa casa simples da periferia. No início, fiquei revoltado, queria minha vida antiga de volta, mas, com o tempo, fui me adaptando e os dias na fazenda se tornaram um belo sonho. Anos depois, quando voltava do trabalho, na porta de casa havia uma jornalista. Queria me entrevistar sobre minha família biológica. Minha mãe de criação apareceu e a expulsou e veio conversar comigo.

Bem... É lógico que eu sabia de tudo, porém, não queria ter consciência disso, principalmente, perder as doces lembranças da infância. A verdade veio dilacerando meu reino particular.

Minha verdadeira família escravizava as pessoas para trabalhar na fazenda. Todos me tratavam bem porque eram obrigados.  Fiquei alguns dias à deriva, como se estivesse acordado de um coma. O que farei?

Minha mãe adotiva me disse para tocar a vida. Seguirei seu conselho.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

POR ONDE ANDA?


Imagem encontrada no google


- Eduardo, por onde anda?

-  Estou numa bolha de sabão, passeando...

- Vamos voltar para matemática e resolver a equação.



***
Ao som 




terça-feira, 14 de maio de 2013

NUMA FRIA









- Olá, não quero assustar. Mas, estou preso na descarga. Você conhece algum bruxo ou feiticeiro que pode me ajudar a sair daqui? Não precisa ser agora, faz o que tem que fazer. Espero numa boa, já estou acostumado com os diversos tipos de cheiros e cenas.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

PROSTITUTAS



Imagem encontrada no google



Viu a jovem com pouca roupa na esquina e de algum jeito sentiu que possuía algo em comum com ela, mas não sabia o quê.  Quando chegou a sua casa, foi direto para cama. Desejava esquecer que decidiu mudar o fim de seu livro para a editora publicá-lo.

domingo, 12 de maio de 2013

ENIGMA







Ela só andava com pessoas cultas, mas ninguém conhecia aquela jovem com uniforme de colegial. Todos a descreviam, mas as investigações policiais não conseguiam solucionar o mistério. As vítimas eram encontradas sem marcas e as páginas dos livros nas estantes, ficavam em branco.  
 


A VIAGEM CONTINUA


- Está vendo o que acontece lá na frente... Ele dorme e se encosta na jovem. Os pelos dela se arrepiam, as mãos ficam umedecidas e o coração acelera. Ele acorda e salta do ônibus e a viagem continua.

sábado, 11 de maio de 2013

MOMENTOS FACE DE SER




Estou vendo a lua mitológica e a princesa dançando com um espantalho. Tudo é tão mágico, que pena que não podem ver.

****



- Onde você mora?
- Moro numa casa que fica na fronteira entre a luz e a sombra.

****





O mundo e suas várias camadas.


***




MADRUGADA DE DOMINGO

Estou cavalgando com os cavalos selvagens.

***


Um pensamento me sopra e meu rosto fica vivo.

***





Viajando...


****





Sou sonho e realidade, portanto, quimérico.



Fantoche


Imagem encontrada no google


Cortou os fios, caiu do palco e vivendo, descobriu o preço da liberdade.  

quarta-feira, 8 de maio de 2013

SEM SENTIDO


Imagem encontrada no google

Quando a viu não resistiu a fazer a pergunta:

- Você caga?

- Como? Que coisa sem sentido essa pergunta?

- É que você é tão linda e parece uma artista da tevê e cinema, que não consigo vê-la cagando, entende?

- Cara, você é doente. Me dá licença, por favor.

Quando saiu, peidou discretamente. 



Ele sentiu a fragrância de seu peido, experimentando a sensação de cheirar as flores do campo. 



terça-feira, 7 de maio de 2013

CASA PATERNA


Imagem encontrada no google

- Cale-se! Tome logo esse cálice de vinho.

Quando foi dormir vomitou todo o jantar que o pai preparou para comemorar seu retorno.

Abandonou a casa paterna na calada da noite e voltou a andejar sem rumo por aí. 

segunda-feira, 6 de maio de 2013

SEU EDUARDO


Imagem encontrada no google



Viveu anos na cadeia. Quando foi solto, a primeira coisa que fez: Construiu uma jaula para morar. Não suportava mais a imensidão do mundo.

sábado, 4 de maio de 2013

Quem está realmente vivo hoje? (Zlavoj Zizek)



Li essa citação na internet e senti medo. Por que quando tudo está bem, sempre encontro gatilhos que despertam o desconforto no peito e falta de ar? Minutos atrás, pensava que estava no controle. Desde criança sou assombrado por essas questões: "Quem sou eu?", "O que eu penso?" e " O que eu quero?"... Sei lá, quero viver como todo mundo, desempenhar meu papel. Ser vivo, não é isso? O que me aflige? Estou respirando... Sou vivo, então! Droga! Vai começar tudo de novo. Não vou deixar! Minha cabeça parece uma torneira aberta. Ouço um barulho, já volto. Voltei. Bem... Sou vivo, né? No momento digito este texto. Quando fui ver o barulho, vi um gato branco no muro e estava com um rato na boca. A cena me fez estremecer. Sinto certa dificuldade de respirar. Bem... Tomarei calmante e tudo ficará bem depois.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

PSICOSES


A casa do filme Psicose, de Alfred Hitchcock

- Conta-me,  Gustavo,  o que aconteceu naquela noite, há vinte anos?

- Estou na sala com minha babá e vejo um filme de um cara estranho, que mora num casarão. De repente, uma mulher no chuveiro é esfaqueada...

-  Você sabe que esse filme é Psicose? Inclusive, tinha um personagem que nutria um forte respeito e temor por sua mãe... Mas o que aconteceu de verdade?

- Estava fixado no filme e senti algo escorrer em mim, era o sangue da babá que me havia pegado no colo, doutor.

- Você viu quem a matou?

-  Levei anos para decifrar o rosto.

- Quem era?

- Meu irmão mais velho.

-  Seu irmão, Gustavo,  que se suicidou em Genebra?

- Sim. Ele morreu vestido de babá.

- Então, você viu o rosto de seu irmão e...

- Mas, ele estava diferente. Usava a roupa da babá.

- Seu irmão matou a babá, Gustavo?

- Agora que as coisas estão fazendo sentido, acho que sim. Ele gostava muito de mim e pedia para eu o chamasse de babá, doutor. Meus pais o obrigaram a estudar fora do país e ele chorava, dizendo que não queria se afastar de mim.

-Nós progredimos bem hoje.  A Sessão terminou, até sexta.

***
O terapeuta Lauro César ficou impressionado com a história, mesmo anos de psicanálise e histórias tão quanto terríveis, algo o atraía para esse caso de Gustavo. De repente, sentiu ser dominado por alguma coisa e saiu do consultório sem rumo. Quando deu por si, estava com um uniforme de babá e um sentimento de proteção em relação ao seu paciente Gustavo.